Área Restrita

Esqueceu sua senha? Clique aqui

Não tem cadastro? Clique aqui

Menu

Notícias

Empaer comercializa 70 mil alevinos em apenas um dia

Publicado em 23/01/2018 às 11:58

Na Estação de Piscicultura da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (EMPAER), localizada no município de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao Sul de Cuiabá), na sexta-feira (19.01), foram comercializados 70 mil alevinos de tambacu e tambatinga. A temporada de venda de alevinos para recria e engorda já começou e contou com a presença de 45 produtores rurais. A previsão é comercializar 600 mil alevinos até o final do mês de abril.
 
O produtor rural Otavino Ferreira Grapiúna, do município de Poconé, da Comunidade Campina de Pedra, possui em sua propriedade dois tanques e comprou 2.900 alevinos de tambacu para recria e engorda. Em 2002, a piscicultura começou como lazer e para consumo da família e hoje é uma atividade de renda. Somente no ano passado vendeu aproximadamente 400 quilos de peixe limpo por R$ 8,00 o quilo, com uma renda de R$ 3.200,00. Otavino explica que em sete meses o tambacu chega a pesar um quilo e em 12 meses acima de dois quilos. “Estou satisfeito com a atividade e toda produção tem mercado garantido”, enfatiza.
 
O engenheiro agrônomo, Nelson Borges de Barros, adquiriu quatro mil alevinos de tambacu para repovoar sete tanques, na propriedade da família que está localizada no município de Barra do Bugres, no Distrito de Currupira. Borges comenta que a criação de peixes é para atender o cardápio do restaurante que possuem no município. Ele e mais seis irmão trabalham com a atividade há mais de 15 anos e o peixe é abatido com mais de 1,5 kg. “É a primeira vez que compramos alevinos na EMPAER e tomamos essa decisão, devido à qualidade e a isenção de doenças”, esclarece Nelson.
 
A produtora rural Shirley Rodrigues da Silva e seu marido Ovídio Pereira da Silva compraram quatro mil alevinos de tambatinga para criar em quatro tanques de peixe, localizados no município de Nossa Senhora do Livramento, na Comunidade Campo Alegre. De acordo com Shirley, trabalham com a venda de peixe há mais de três anos e sempre compraram na Estação de piscicultura da EMPAER. “Em apenas oito meses de cultivo retiramos peixe pesando 1,5 kg e comercializamos por R$ 5,00 o quilo do pescado inteiro”, explica Shirley.
 
Atividade rentável
 
O chefe da Estação de piscicultura, Antônio Claudino da Silva Filho, fala que os produtores antes de adquirirem os alevinos recebem informações sobre a criação e os cuidados necessários para tornar a atividade um negócio que tenha lucro e renda. No primeiro dia foi disponibilizado aos interessados alevinos medindo de três a cinco centímetros pelo preço de R$ 230,00 o milheiro e de cinco a oito, R$280,00. Ele ressalta que na próxima semana poderá ter alevinos medindo de oito a dez centímetros por R$ 330,00 o milheiro.
 
Com objetivo de auxiliar na produção de peixe, o engenheiro de pesca da Empaer, Enock Alves dos Santos, destaca que vários fatores são importantes para o crescimento e sucesso da atividade, bem como: manejo, alimentação e nutrição de peixes, qualidade e oxigênio da água, temperatura, densidade por metro quadrado, controle no cultivo de alevinos e outros. Enock fala que a piscicultura pode render até 25% de lucro para os produtores rurais, mas é necessário receber orientações técnicas para começar na atividade.
 
Segundo Santos, o Estado de Mato Grosso tem uma produção de 75 mil toneladas de peixes por ano, cultivados em tanques, e que a implantação de um projeto de piscicultura na propriedade rural pode levar até oito meses. “Nosso clima é muito bom para o cultivo de peixe e em menos de um ano está pronto para o abate”, enfatiza.

Fonte: MT.GOV.BR

e-box - Sitevip InternetSitevip Internet