AQUAMAT – Associação dos Aquicultores de Mato Grosso

A AQUAMAT (Associação dos Aquicultores do Estado de Mato Grosso), representa mais de 300 empresários do setor aquícola e concentra 80% da produção de peixes do Estado.

Carta Aberta AQUAMAT: finalização do “Peixe Santo 2019”

atualizado em

CARTA ABERTA

Prezado(a),

A Associação dos Aquicultores de Mato Grosso – AQUAMAT, foi fundada em 2005 justamente para fomentar a piscicultura no estado, com este objetivo tem trabalhado arduamente, estimulando uma produção sustentável unindo todos os elos, desde a produção de insumos, o produtor, o beneficiamento e o consumidor final.

Ao longo dos 27 anos, desde a sua criação na década de 1990, programa “PEIXE SANTO”, desempenha um importante papel na comercialização do pescado na semana santa da baixada cuiabana, tornando-se uma tradição na capital. Importante destacar que muitos pequenos piscicultores investem o ano inteiro na sua produção para fazer a comercialização justamente na Semana Santa, período de grande consumo de peixes.

E ano após ano, graças ao excelente trabalho desenvolvido pela prefeitura de Cuiabá, o projeto “Peixe Santo” tem crescido e ganhado cada vez mais popularidade, sempre com números expressivos de comercialização, chegando no ano de 2018 com a venda de mais de 115 mil quilos segundo a prefeitura de Cuiabá.

É importante ressaltar que com esse aumento de visibilidade e volume de venda também aumenta a necessidade de um rigoroso controle sanitário que garanta a qualidade do pescado, exigido pela legislação federal.  Assim, a AQUAMAT juntamente com seus associados vem buscando alternativas e soluções para fomentar o desenvolvimento econômico do setor, tanto por meio do estímulo ao cumprimento das exigências legais, quanto na disseminação de informações e capacitação dos envolvidos.

No entanto infelizmente o que se observa é que esse processo por inúmeros motivos é lento e não foi possível de ser atendido conforme as exigências da legislação no ano vigente pela maior parte dos envolvidos.  

A instituição sabe da importância da adequação do “PEIXE SANTO” a esse padrão de controle sanitário e vem incansavelmente buscando corroborar nesse sentido, mas se solidariza aos pescadores e pequenos e médios produtores que são os principais envolvidos, na busca de uma alternativa para tentar contornar esse problema que pode impactar em um prejuízo de mais de 120 toneladas de peixes, o que representa um prejuízo econômico, social e político inestimável para a cadeia do pescado.

Com a certeza de que esse problema possa ser resolvido o quanto antes, estamos realizando tratativas com os diversos órgãos envolvidos na tentativa de contornar essa problemática, e continua realizando e planejando ações  futuras para otimizar os trabalho para que numa próxima edição não venha a se repetir esse lamentável fato, que irá prejudicar direta e indiretamente um grande número de beneficiados.

Cuiabá, 15 de abril de 2019.

Cordialmente,

Igor Cesar Davoglio

Presidente da AQUAMAT

Compartilhar

 

Deixe seu comentário

Atenção: Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não representam, necessariamente, a opinião da AQUAMAT.

 

Colabore com a atividade!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos do setor aquícola.